quarta-feira, 27 de abril de 2011

Quero me converter, mas e a perseguição? – 1ª parte

Posted by Força Jovem Maranguape On 03:39 No comments



FAMÍLIA

Me lembro como se fosse ontem. Eu, nova convertida, fazendo as correntes firme, chegava à esquina da Igreja já com um frio na barriga. Não era medo das orações, era pura e simplesmente pavor das perseguições que eu sabia que sofreria por conta da minha decisão de me converter dos meus maus caminhos, e aceitar a palavra de vida que tinha recebido. Eu não queria que as pessoas me vissem entrando na Igreja, queria guardar o tesouro que encontrei num lugar onde ninguém visse, porque eu não queria ser tachada, rotulada.


É assim que acontece às vezes. Não que isso seja regra, não. Mas a maioria dos novos convertidos tem medo das perseguições. Isso já desanimou a muitos, o inferno tem um lucro enorme quando pessoas dão ouvidos às frases do tipo: “—Ih, virou crente, é?”, “– Você agora é bíblia, xiii!”, “—Não vem tentar me converter, não!” ou“– Agora você não vai mais poder ir à praia, né?”… e coisas assim.


Não há parâmetros nem ordem de acontecimento de fatos, mas, geralmente, somos perseguidos por pessoas e situações que vou enumerar agora:


Seus pais e amigos não aceitam sua decisão:


Isso é mais comum do que se imagina. Você mora com seus pais, por vezes é até sustentado (a) por eles, mas foi você o (a) escolhido (a) pelo Senhor Jesus na sua casa. Pronto! Começam a questionar sua decisão, a querer te proibir de ir à Igreja, reclamam que seu celular agora não para de tocar, etc.


Ao que mora com os pais, não se esqueça: você deve obediência a eles. Lembre-se que, honrando-os, você estará, além de agradando a Deus, dando um bom testemunho. Ser mal criado (a), respondendo com grosseria, falando com a voz alterada, não ajudará em nada o processo de ganhar sua família pra Jesus. Quando você ficar entre ir a igreja e obedecer a seus pais, converse com eles. Pergunte se eles preferem que você esteja chegando em casa tarde porque estava em festas, usando drogas, se prostituindo…. mas fale com voz branda, com firmeza. Ore antes, peça a Deus a direção pra que, através de suas poucas palavras, o Espírito Santo possa alcançar o coração deles e fazer essa situação mudar.


É preciso, também, avaliar, nesse caso, se o culpado desse comportamento dos seus pais não ser você mesmo. Por mais que neguemos, quando começamos a trilhar o caminho da fé, ficamos tão fascinados com tanta novidade que perdemos o equilíbrio, ficando muito mais com os jovens ou nas reuniões que esquecemos não só nossos pais, mas os amigos e a família (marido/esposa, filhos, etc.). Mas isso é assunto pro próximo post… até lá!

Sobre essa postagem:

0 comentários:

Postar um comentário

Seja também um Seguidor! Faça Parte!

  • RSS
  • Delicious
  • Digg
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Youtube