segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Em edição tendenciosa, jornal O Globo sugere envolvimento da IURD em casos de fraude na emissão de passaportes. Mas documento oficial da embaixada norte-americana no Brasil informa que a Igreja está dentro da lei e faz elogio à organização da instituição


Nos Estados Unidos, IURD tem 135 igrejas e mais de 190 pastores, segundo embaixada norte-americana

No último dia 2 de fevereiro, o jornal O Globo publicou uma matéria em seu portal sugerindo que a Igreja Universal do Reino de Deus estaria envolvida em casos de fraude nos pedidos de visto para religiosos, segundo correspondência enviada pela embaixada norte-americana no Brasil aos Estados Unidos (EUA). Mas, no relatório, a embaixada destaca dois parágrafos, dirigidos unicamente aos vistos para missionários da IURD, ressaltando a organização e pontualidade da instituição, que se mantém em dia com a documentação exigida.


Na reportagem, o jornal fez uma edição tendenciosa, reproduzindo apenas alguns trechos do telegrama enviado pelo ex-embaixador norte-americano no Brasil, Clifford Sobbel, levando o leitor a interpretar que haveria irregularidades na permanência de missionários da IURD nos Estados Unidos.


No relatório, o trecho que destaca a operação de emissão de passaportes do tipo R1, concedidos a missionários da IURD, esclarece que, mesmo com grande número de vistos expedidos para membros da Igreja, entre os anos de 2003 e 2005, nenhuma irregularidade foi encontrada. “Apesar de, no momento da entrevista para o visto, todos os missionários da Igreja Universal haverem indicado que planejavam ficar nos Estados Unidos por apenas um ano, nenhum deles havia deixado o país e continuavam exercendo suas funções na igreja em 2006... Todos com os quais conversamos, tinham um entendimento correto das leis de imigração americanas sobre vistos a religiosos, assim como o período permitido de estadia, quando e como o pedido de extensão deveria ser feito e quando a igreja... deveria solicitar a residência permanente deles nos Estados Unidos”, diz o relatório, que aponta que os missionários da IURD, atualmente nos EUA, estão dentro do período de estada concedido pela embaixada.


O estudo diz ainda: “Todo o exposto acima sugere que as operações da Igreja Universal são extremamente bem organizadas e a igreja oferece assistência a seus membros em todos os estágios do processo de solicitação do visto.”


Segundo Sobbel, foram concedidos 100 vistos do tipo R1 entre 2003 e 2005, e o estudo realizado pela embaixada concluiu que 15% deles são fraudados, sendo que 80% das fraudes foram feitas por pessoas de Goiás. O relatório menciona, ainda, as igrejas envolvidas nestas fraudes, entre as quais não consta o nome da Igreja Universal do Reino de Deus. As fraudes, em geral, referem-se a missionários que permanecem nos Estados Unidos ilegalmente, mesmo após expiração do visto e que, em alguns casos, já não pertencem mais à instituição religiosa que os enviou àquele país.


Segundo os dados da embaixada norte-americana, a IURD tem 135 igrejas e mais de 190 pastores nos Estados Unidos.


Veja, na íntegra, o relatório da embaixada norte-americana, publicado no WikiLeaks

Sobre essa postagem:

0 comentários:

Postar um comentário

Seja também um Seguidor! Faça Parte!

  • RSS
  • Delicious
  • Digg
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Youtube